Análise Custo-Benefício de Medidas de Adaptação à Mudança do Clima

Nesta publicação, o FGVces, com o apoio da a Agência Nacional de Águas (ANA), desenvolveu uma Análise Custo-Benefício (ACB) de potenciais medidas de adaptação na Bacia Hidrográfica dos Rios Piancó-Piranhas-Açu.Por meio de uma análise das condições climáticas atuais e futuras, e seus impactos hidrológicos e econômicos, este livro avalia a perda econômica decorrente da não consideração da mudança do clima no planejamento hídrico regional, avaliando, posteriormente, a viabilidade econômica de medidas adaptativas em potencial.

Guia para Implementação do ROI de Sustentabilidade

Desenvolvido pelo FGVces, em parceria com a Emerging Market Sustainability Dialogues (EMSD), Emerging Market Multinationals Network for Sustainability (EMM) da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, este manual busca orientar as empresas na análise do retorno econômico de projetos de sustentabilidade.

Instrumentos Econômicos Aplicados à Gestão de Recursos Hídricos

Nesta publicação, a Agência Nacional de Águas (ANA) e o FGVces apresentam uma análise exploratória da adoção de instrumentos econômicos de gestão de recursos hídricos em situações de conflito pelo uso da água. Trata-se de mais uma contribuição para o necessário aprimoramento da alocação de água nas bacias hidrográficas brasileiras e possam sirvam como subsídios para políticas proativas necessárias à sustentabilidade do uso da água no Brasil.

ID Local – Um Olhar Territorial sobre Investimento Social Corporativo: Princípios e Diretrizes

Esta publicação sintetiza as reflexões e os resultados do ciclo 2017 de trabalho da Iniciativa Desenvolvimento Local e Grandes Empreendimentos (ID Local). Em 2017, as atividades de ID Local se voltaram para o tema do Investimento Social Privado Territorial (ISP-T), com a realização de oficinas e debates com o objetivo de produzir princípios inspirados nos conceitos e práticas de desenvolvimento territorial, nas seguintes dimensões: chegada e saída do ISP-T, desenvolvimento de capacidades locais, transparência, monitoramento e avaliação de impacto.

Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor (ISCV) – Ciclo 2017-2018

Em 2017, as empresas integrantes da Iniciativa Empresarial do FGVces Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor (ISCV) dedicaram-se ao estudo da norma ISO 20400, uma diretriz internacional para as compras sustentáveis, publicada em dezembro de 2016. Ainda no Ciclo 2017, quatro empresas do grupo implementaram projetos piloto de Matriz de Risco – a partir da metodologia desenvolvida por ISCV em 2015 – e duas delas têm suas experiências apresentadas nesse documento.

Gestão e Precificação de Carbono: Riscos e Oportunidades para Instituições Financeiras

Este relatório, desenvolvido para a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), analisa a gestão do risco climático por parte de bancos e empresas, com especial atenção aos riscos e oportunidades relacionados à precificação de carbono. Busca identificar tendências ligadas às altas emissões e concentrações de carbono, incluindo os riscos e oportunidades provenientes da precificação; mapear as práticas de gestão de risco carbono por empresas de setores selecionados da economia; e identificar temas setoriais relevantes a serem considerados pelas instituições financeiras na gestão do risco carbono em suas análises de risco socioambiental.

Iniciativas Empresariais do FGVces: Gestão Empresarial de Recursos Hídricos

O objetivo desta publicação é apoiar o setor empresarial no caminho à gestão ampla e integrada dos recursos hídricos e, assim, à mitigação dos riscos e desenvolvimento das oportunidades prioritárias frente à perenidade e à competitividade dos negócios. Ela sistematiza os aprendizados e experiências estudados e debatidos durante dois anos – 2016 e 2017 – em grupo de trabalho formado no âmbito das Iniciativas Empresariais (iE) do FGVces.

Financiamento da Recomposição Florestal com Exploração Econômica da Reserva Legal

O estudo, em parceria com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), traz avaliação de modelos para financiamento de recomposição de áreas de Reserva Legal, considerando a gestão integrada da propriedade bem como modelos que possam reduzir o risco de crédito das operações; e identificou potenciais atividades, regiões e clientes para atuação do Sistema Financeiro Nacional (SFN) no financiamento de recomposição vegetal, a partir de dados das atividades produtivas da pecúaria, cana-de-açúcar e soja nos Estados de São Paulo, Paraná e Mato Grosso ao longo dos anos de 2016 e 2017.

Instituições Financeiras e a Gestão do Risco de Desmatamento

Elaborado para a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), este documento traz recomendações de elementos de análise para concessão de crédito e do fornecimento de informações sobre ferramentas e bases de dados disponíveis para consulta a afim de que bancos possam aprimorar a gestão do risco de desmatamento e possam posicionar-se frente às demandas nacionais e internacionais relacionadas à redução do desmatamento.

Análise dos custos e benefícios das políticas públicas: o caso dos instrumentos econômicos para gestão ambiental

Baseando-se em experiências internacionais, notadamente na bacia hidrográfica de Murray-Darling (Austrália), e de estudo de caso aplicado à bacia hidrográfica dos rios Piancó-Piranhas-Açu (Paraíba e Rio Grande do Norte), este estudo buscou responder como a Análise de Impacto Regulatório pode auxiliar a implementação de instrumentos econômicos para apoiar medidas de adaptação às mudanças climáticas na gestão de recursos hídricos; e que desafios são ou deverão ser enfrentados para a elaboração de uma Análise de Impacto Regulatório na gestão de recursos hídricos no Brasil.

Caso empresarial de valoração não econômica de Serviços Ecossistêmicos Culturais

Esta publicação apresenta um caso empresarial de aplicação das DESEC, Diretrizes Empresariais para a Valoração não Econômica de Serviços Ecossistêmicos Culturais, realizado pela empresa de ingredientes bioativos Assessa, a Comunidade fornecedora de matéria prima da Praia da Baleia em Itapipoca-CE e a equipe facilitadora da Ecotoré Serviços Socioambientais, apoiados pelo projeto TEEB R-L.

Serviços Ecossistêmicos relacionados aos negócios – Ciclo 2017

A iniciativa empresarial Tendências em Serviços Ecossistêmicos (TeSE) traz nesta publicação nove casos empresariais de valoração econômica de serviços ecossistêmicos foram desenvolvidos realizados em 2017. Estes casos contribuem para a criação de um conjunto de referências de aplicação da valoração de serviços ecossistêmicos no âmbito empresarial e para o diagnóstico de oportunidades de melhoria das Diretrizes Empresariais para a Valoração Econômica de Serviços Ecossistêmicos (DEVESE) e sua ferramenta de cálculo.

Explorando conexões entre finanças corporativas e serviços ecossistêmicos: Estudos pilotos

O estudo, realizado em parceria com MMA, a CNI e a GIZ, apresenta elementos para que tomadores de decisão do setor produtivo e financeiro possam considerar formal e explicitamente os riscos associados aos recursos naturais e serviços ecossistêmicos em processos de identificação, análise e avaliação de riscos.

Sistema de Comércio de Emissões SCE – Relatório Final do Ciclo 2017

Este relatório traz os resultados e análises finais do 4º ciclo operacional da Simulação de Sistema de Comércio de Emissões, realizado de março a novembro de 2017. Além dos resultados operacionais são apresentados os principais aprendizados e desafios da Simulação, bem como os resultados dos grupos setoriais de trabalho, criados em 2017, para estudo e discussão das potencialidades e desafios dos setores em contexto de precificação de carbono.

Financiamento para Energia Solar Fotovoltaica em Geração Distribuída

Realizado em parceira com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a publicação traz uma análise sbore a viabilidade do financiamento para projetos de energia solar fotovoltaica em geração distribuída e discute propostas para viabilizar a escalabilidade de financiamentos desses projetos.

Gastos Públicos em Mobilidade Urbana no Brasil

Resultado de uma iniciativa conjunta do Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGVces) e o Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA), com o apoio da Oak Foundation e do Instituto Clima e Sociedade (iCS), o estudo levanta e analisa o volume de recursos financeiros públicos destinados à mobilidade urbana. Esse levantamento abarcou o período de 2006 a 2016 para os governos municipais das regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro; governos estaduais de São Paulo e Rio de Janeiro e para o governo federal. Os dados estão disponíveis em base de dados aberta.

O que a implementação do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu nos ensina?

O documento, resultado preliminar da pesquisa em curso que conta com o apoio da Mott Foundation, apresenta reflexões sobre os avanços, desafios, limites e caminhos possíveis a serem traçados para a governança de territórios que recebem grandes obras.

Grandes Obras na Amazônia: aprendizados e diretrizes – 2ª edição

A publicação, realizada em parceria com a International Finance Corporation (IFC) do Grupo Banco Mundial, traz lições aprendidas e recomendações no âmbito das políticas públicas e das práticas empresariais para que se estabeleça um novo tipo de relação entre os grandes empreendimentos e os territórios que lhes são alvo. Essa edição inclui um conjunto de diretrizes resultante do grupo de trabalho sobre deslocamentos compulsórios.

Lacunas de conhecimento em adaptação às mudanças climáticas. Relatório Diagnóstico Brasil

Este estudo constitui a primeira etapa do projeto LatinoAdapta e tem por objetivo apresentar um diagnóstico das lacunas de informação que dificultam a elaboração e implementação de políticas e ações em adaptação no Brasil. Para tanto, foram realizados questionários e entrevistas, além de uma reunião presencial com importantes atores governamentais dos âmbitos federal, estadual e municipal. O projeto “LatinoAdapta: Fortalecendo vínculos entre a ciência e governos para o desenvolvimento de políticas públicas na América Latina” é executado pelo Centro Regional em Mudança Climática e Tomada de Decisões, liderado pela Fundação Avina e financiado pelo Centro Internacional de Investigações para o Desenvolvimento (IDRC) do Canadá.

REVISTA PÁGINA22 E P22_ON
Depois de quase 15 anos editando a Revista Página 22, em um período de extensa e valiosa experiência em produção de conteúdo, o FGVces transfere essa tarefa e todas as responsabilidades inerentes para seu núcleo jornalístico fundador, que passa a gerir a Página 22 de forma independente. Esperamos que a rica expertise acumulada nesse período continue na revista para sempre.
O FGVces só tem a agradecer à equipe e aos parceiros que colaboraram para que a Página 22 fosse a grande referência de mídia no campo da sustentabilidade, e se orgulha de ter contribuído para a disseminação de informação e conhecimento para a sociedade, na forma de um bem público. Longa vida à Página 22!

 

Artigos publicados em periódicos

BREVIGLIERI, Gustavo Velloso; OSÓRIO, Guarany Ipê do Sol; PUPPIM DE OLIVEIRA, Jose A. Understanding the emergence of water market institutions: learning from functioning water markets in three countries. Water Policy. 2018. Disponível em: https://iwaponline.com/wp/article-abstract/20/6/1075/64332

STREET, Roger B.; PRINGLE, Patrick; LOURENÇO, Tiago Capela; NICOLLETTI, Mariana. Transferability of decision-support tools. Climatic Change. 2018. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10584-018-2263-6

SANTIAGO, I. C.; CARREIRA, FERNANDA; AGUIAR, ANA CAROLINA; MONZONI, MARIO. (2017) Increasing knowledge of Food Deserts in Brazil: the contributions of an interactive and digital mosaic produced in the context of an Integrated Education for Sustainability Program. Journal of Public Affairs. 2018. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/pa.1894

JOSEPH, Gabriel Paes de Almeida; GONÇALVES-DIAS, Sylmara Lopes Francelino; FELSBERG, Annelise Vendramini; IGARI, Alexandre Toshiro. Responsabilidade Social Corporativa e Índices de Sustentabilidade: um Estudo dos Ativos Tangíveis e Intangíveis à Luz da Visão Baseada em Recursos. RGSA (ANPAD). 2018. Disponível em: https://rgsa.emnuvens.com.br/rgsa/article/view/1304

YAMAHAKI, Camila (2018). Responsible Investment and the institutional works of investor associations. Journal of Sustainable Finance & Investment. 2018. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/20430795.2018.1558029

Artigos publicados em anais de congressos

LAMBIASI, Layla. Cost-Benefit Analysis of Adaptation Measures for a River Basin in Northeast Brazil. Adaptation Futures.

PAGOTTO, Lívia Menezes; NICOLLETTI, Mariana; MONZONI, Mario. Territorial development from a philanthropic point view: a narrative analysis of corporate social investment in Brazil. In: EnANPAD 2018, 2018, Curitiba. EnANPAD 2018, 2018.

KRIEGER, M. ; PAGOTTO, Lívia Menezes; MESSENA, Luana; LIMA, A. G. M.; PANSERI, B. Civil Society Initiatives in Brazilian Representative Democracy Election Processes. In: ISTR’s 13th International Conference, 2018, Amsterdam. Democracy and Legitimacy: The Role of the Third Sector in a Globalizing World, 2018.

KISS, Beatriz C.; DINATO, Ricardo; FERNANDES, Matheus. Pegada de Carbono comparativa do petrodiesel e do biodiesel com ênfase na mudança de uso da terra. Congresso Brasileiro de ACV (GCV 2018).

KISS, Beatriz C.; DINATO, Ricardo; FERNANDES, Matheus. Pegada hídrica: uso do método AWaRe na gestão empresarial de recursos hídricos. Congresso Brasileiro de ACV (GCV 2018).

KISS, Beatriz C.; DINATO, Ricardo; FERNANDES, Matheus. A influência da escolha dos fatores de caracterização para impactos de Aquecimento Global e a divisão entre metano biogênico e fóssil. Congresso Brasileiro de ACV (GCV 2018).

CHAVES, K. A.; SOUZA, A. M. . DE BELO MONTE A BELO SUN, O PARÁ COMO ESPAÇO DE ESPOLIAÇÃO & EXCEÇÃO: O CASO DA RESISTÊNCIA YUDJÁ. In: XV Coloquio Internacional de Geocrítica Las ciencias sociales y la edificación de una sociedad post-capitalista, 2018, Barcelona. Las ciencias sociales y la edificación de una sociedad post-capitalista. Barcelona: Universidad de Barcelona/Geocrítica, 2018.